"Não escolhemos vir ao mundo, mas temos o direito de escolher onde viver a eternidade."
10
nov2014

Desabafo de Deus


14
mai2010

Meu Pedido

Untitled-2Muita gente conhece o Renato Maduro. Foi a primeira vítima das drogas a ser liberto na IURD. Um filho na fé muito amado. Sempre sincero, fiel, cumpridor dos seus deveres e, sobretudo, cheio do Espírito. Seu ministério tem sido confirmado e respeitado, tanto que, nos lugares por onde passou, gerou filhos e discípulos na fé. Tem trabalhado em muitas igrejas pelo Brasil e no mundo. Hoje, serve a Deus na Califórnia. Mas, por razões desconhecidas, tem lutado contra uma enfermidade fatal. Já enfrentou outra e foi curado.

Apesar de estarmos intercedendo a Deus por ele, ainda assim, PARECE que esse mal, segundo a medicina, está avançando. Digo parece, porque sua enfermidade já foi eliminada há dois mil anos.

Numa troca de email ele me disse:

No último e-mail veio uma palavra de força e esperança: Deus NUNCA nos abandona, a não ser que Ele seja injusto! Ontem eu fui ao médico e a palavra foi de morte: Ele disse que este tratamento está terminando, e foi ótimo, porém, não me curou totalmente, e que a partir de agora eu deveria aproveitar o máximo a minha vida, porque, o que se espera é de um 1 ano somente de vida!

Ele usou a seguinte expressão: quando somos pequenos, nossos Pais dizem: “tem que poupar pra ter uma garantia no futuro”, e que no meu caso, chegou a hora de gastar e viver o máximo que eu puder, pois não há muito tempo de vida!

Como é importante crer na Palavra de Deus. Ela tem vida e traz esperança!

Gostaria de apelar para os valentes da mais nova Tribo de Israel, a IURD, e em especial aos seus filhos na fé, orações e jejuns por ele. Quem o fizer por ele, estará fazendo por mim.

O Espírito Santo diz: …orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo. Tiago 5.16

Vamos unir nossas forças e fazê-lo tomar posse da cura Divina consumada no Calvário.

Muito obrigado em o Nome do Senhor Jesus!

5
fev2010

Oração para os humilhados

14
nov2009

Só a Fé Pura

12
nov2009

Ação ou Oração?

1

Saber separar o momento certo entre oração e atitude é fundamental na conquista dos benefícios da fé. Muitas vezes, apela-se à oração quando se deveria tomar atitude. Outras, toma-se atitude quando se deveria orar. Por conta disso, oportunidades são desperdiçadas e derrotas acrescentadas.

O exemplo de Moisés serve como lição. Ao sair do Egito, chegou diante do Mar Vermelho liderando três milhões de pessoas, dentre as quais anciãos, grávidas, crianças, recém-nascidos, animais, além de seus pertences. Na retaguarda, sob o comando do próprio Faraó, vinha o furioso exército egípcio armado até aos dentes. Moisés não tinha armas nem exército para se defender. A dificuldade de locomoção não lhe permitia fugir. Tecnicamente, não havia nenhuma saída.

Muitas vezes nos deparamos com situação semelhante. O que fazer? A gravidade daqueles momentos era tão intensa que Moisés nem orou. Mas clamou.

“Por que clamas a Mim? Mande o povo seguir em frente. E você estenda o cajado, toque o Mar e divida-o para o povo passar”, foi a resposta Divina. (Exodo 14. 15,16)

Deus tem provido Seu povo do cajado da fé. Tal ferramenta exige atitude. Fé é ação! Se há certeza absoluta, há fé. E, se há fé, por que orar ou mesmo clamar quando se sabe o que deve ser feito?

30
nov2008

Oração e Sacrifício

Muitas pessoas têm pensado que, dada nossa autoridade espiritual, as respostas de Deus às nossas orações particulares são quase que imediatas.

Felizmente, ou infelizmente, não são… Deus sabe.

Há anos temos perseguido um sonho especial. Orações pelas madrugadas, jejuns e até gemidos. Por que meu Deus e meu Pai?

Nisso a resposta não demorou. Estava bem lá dentro da Bíblia. Livro de Juízes, capítulo 20.

Levados pelas circunstâncias os filhos de Israel viveram um grave problema familiar. Um de seus filhos teve sua mulher violentada e morta por alguns de seus irmãos da tribo de Benjamin. Sedentos por justiça e sob o consentimento de Deus Israel subiu contra a tribo de Benjamim.

No primeiro dia de batalha foram derrotados e perderam 22 mil homens.

Israel não se intimidou e de novo voltou-se contra os benjamitas. Mas desta vez choraram perante o Senhor até à tarde, e O consultaram, dizendo:

"Tornaremos a pelejar contra os filhos de Benjamim, nosso irmão? E o Senhor respondeu: Subi contra ele. Novamente Israel foi derrotado e perdeu 18 mil soldados."

Perseverou Israel e pela terceira vez consecutiva voltou-se contra os “IRMAUS”.

Mas dessa vez Israel primeiro subiu a Betel, e chorou, e esteve ali perante o Senhor, e jejuou aquele dia até à tarde; e, perante o Senhor, ofereceu holocaustos e ofertas pacíficas. (Jz 20:26)

A partir de então tiveram a visão Divina de como poderiam derrotar os benjamitas. Colocaram o plano em prática e obtiveram a vitória completa.

Resumindo: Israel orou na primeira vez e mesmo com a permissão Divina, perdeu… Segunda vez Israel orou e até chorou. E ainda com a permissão Divina, perdeu outra vez… Terceira vez Israel orou, chorou, jejuou e sacrificou…

E a vitória total alcançou!

Deus nos dê coragem para assumirmos a fé!

Nada a Perder 3
Palavra Amiga
Idiomas
Pesquise outros posts
Clique em curtir e seja um Fã no Facebook
Assine nossa newsletter!
Cadastre-se e receba diariamente todas as novidades do blog:
* obrigatório
Universal.org
Siga-me no Twitter
Canais Oficiais
Ganhe almas! Divulgue no seu site
 
O pão nosso para 365 dias
arcacenter.com.br
www.bispomacedo.com.br - © Copyright 2014 - Blog do Bispo Edir Macedo