"Não escolhemos vir ao mundo, mas temos o direito de escolher onde viver a eternidade."
6
nov2010

A Destruição do Segundo Templo

O Império Romano ocupou Israel no ano de 63 a.C. Procuradores romanos governavam a terra ocupada e cobravam pesados impostos em nome do Império. Havia uma meta de tributos a ser preenchida e o que excedesse isso ficava em poder dos procuradores, que enriqueciam a olhos vistos. Além disso, a todo momento eram inventados novos impostos somente para que os governantes arrecadassem mais para seus próprios bolsos.

O fator financeiro deixava os judeus obviamente descontentes, mas havia mais. O sumo-sacerdote, autoridade religiosa máxima entre o povo, passou a ser escolhido por Roma. Era conhecido o fato de que o Império favorecia apenas quem colaborasse com ele, e isso deixava ressabiados os judeus, já que, segundo a tradição, o sumo-sacerdote deveria ser o homem mais puro entre todos.

No período próximo ao nascimento de Jesus, levantou-se secretamente em meio ao povo judeu um grupo de rebeldes, os Zelotes. Era um grupo de resistência ao Império que tinha como meta expulsar os romanos de Israel utilizando-se de todos os meios possíveis, inclusive a violência.

O imperador que se achava deus

Eis que entra o reinado de Calígula, polêmico governante romano notoriamente psicótico, a quem todos temiam dentro e fora dos limites do Império. Se antes o domínio romano era ruim para os israelitas, com Calígula tudo piorou. No ano de 39, o imperador promulgou um decreto em que alegava ser um deus e que deveria ser adorado como tal. Ordenou que sua estátua fosse colocada em todos os templos de qualquer lugar que pertencesse ao Império Romano. De todos eles, somente o povo judeu se negou a essa idolatria, recusando-se a profanar o templo com uma estátua de um falso deus.

Calígula, em um de seus famosos acessos de loucura, ameaçou destruir o templo dos judeus caso não fosse respeitada sua exigência da estátua nele. Israel chegou a mandar uma delegação até ele para tentar apaziguar o déspota, mas não logrou êxito. O imperador ameaçou exterminar os judeus, caso não o obedecessem, mas faleceu antes que pudesse cumprir a ameaça.

Mas a morte de Calígula não arrefeceu tanto os ânimos como muitos esperavam. Até a porção moderada do povo temia que o novo imperador fosse igual ou pior que seu antecessor. Também se fortaleceram, sobretudo os Zelotes, com a crença de que a morte repentina do ditador foi obra de Deus, pois este estaria ao lado dos judeus em qualquer batalha contra outros povos.

A insurreição

A ausência de Calígula não diminuiu os abusos que os procuradores romanos promoviam contra os judeus. Chegavam ao ponto de queimar rolos da Torá, o livro sagrado de Israel, dentro do próprio templo.

No ano de 70, quando governados pelo imperador Tito, os romanos romperam as muralhas de Jerusalém. Muitos atribuem a Deus a permissão da invasão por causa dos muitos atos de imoralidade, atentados contra a vida e idolatria dos judeus.

O povo judeu foi massacrado pelo poderio militar romano, Jerusalém foi destruída, o mesmo acontecendo com o segundo templo, saqueado e demolido. Ainda hoje, em Roma, nas ruínas dos Arcos de Tito, estão esculturas em relevo mostrando soldados romanos saqueando e destruindo o templo, carregando com eles uma menorá, o candelabro sagrado de sete lâmpadas.

Pior ainda: os judeus foram exilados de sua terra, expulsos de Israel. Calcula-se que mais de um milhão de judeus tenham sido mortos na que ficou conhecida como a Grande Revolta contra o poderio romano. Começou a Diáspora, espalhando o povo judeu pelo mundo. Só tiveram novamente sua terra de volta em 1948, ano em que a Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou a criação do Estado de Israel, com um voto decisivo do presidente da Assembleia Geral do órgão, o brasileiro Oswaldo Aranha.

No exílio

Desde a expulsão de Jerusalém por Tito até 1948, os judeus exilados espalharam-se pelo mundo. Historiadores defendem que, quando isso acontece, em cerca de seis gerações a cultura de um povo se perde por completo, extinguindo toda uma história. O povo judeu conseguiu manter sua cultura, mesmo disperso por muitos países planeta afora.

Mas mesmo hoje, com os judeus de volta a Jerusalém, o terceiro templo não foi construído. Onde ficava o segundo, está um complexo muçulmano com uma mesquita, lugar ao qual os judeus não têm permissão de acesso.

Um grande número de judeus sonha com a construção do terceiro templo, e este só será erguido quando os ensinamentos da Torá e a harmonia entre o povo forem efetivos. Há uma entidade não governamental chamada Instituto do Templo que já está construindo artefatos e acessórios como descritos na Bíblia, crendo que o terceiro templo será construído ainda nesta geração.

Há uma tradição entre eles de uma crença de que o novo Messias (eles não acreditam que Jesus o tenha sido) será o construtor do novo templo. Ainda hoje, três vezes ao dia, judeus do mundo todo fazem a oração “Shemona Esré”, em que um trecho diz: “Que seja Tua vontade, Senhor nosso Deus e Deus de nossos antepassados, que o Templo Sagrado seja reconstruído rapidamente em nossos dias.”

Informações sobre a construção do Templo de Salomão: www.otemplodesalomao.com

Veja também:

- A relação entre Jesus Cristo e o Templo
- Construção do Segundo Templo
-
Destruição do Primeiro Templo
- Templo de Salomão
-
Tabernáculos, a Arca e o desejo de Davi de construir o Templo
- Reunião de Lançamento da Pedra Fundamental
- Milagre do Templo
- Judeus e cristãos unidos na construção do Templo
- O Templo
- Notícia da construção repercute pelo mundo
- Projeto do Templo da IURD
- Suor, sangue e lágrimas
- Lançamento da pedra fundamental do Templo - Fotos

26
ago2009

Fé Colorida

Por que tentam denegrir o trabalho da Iurd e, em especial, sua liderança? O que está por detrás dessa perseguição implacável?

O povo de Deus tem conhecimento de que as entidades infernais usam e abusam de seus subservientes na Terra. Mas o que poucos sabem é que elas os têm usado para monopolizar a fé de forma emotiva e tradicional: a fé colorida.

Esse tipo de fé tem conduzido os incautos a acreditar nas fantasias criadas pela arte e imaginação pagãs com fins exclusivamente econômicos. É o caso do natal, páscoa, sexta-feira da paixão, dia dos mortos, dia das almas, etc. Cada dia santo é motivo para alavancar indústria e comércio. O pano de fundo sempre é a fé emotiva, em nome do cristianismo.

Por conta do discurso revelador da Iurd, que tem promovido a fé consciente, separada de sentimentos e entusiasmos, verifica-se logo um andar na contramão. Obviamente, isso provoca verdadeira revolução na sociedade, contrariando interesses político-econômicos.

Se Deus existe, conforme se tem crido, por que não cobrar dEle respostas às necessidades vigentes? Se Ele atendeu no passado, por que não vai atender no presente?

Esse é o tipo de fé que satisfaz tanto a Deus quanto aos que nEle creem. Nela há coerência.

Ou Deus existe ou não existe. Como sabê-lo?

Fatos irrefutáveis são a única resposta.

19
ago2009

Inveja

As perseguições da Globo contra a IURD me fizeram pensar sobre a inveja dos "poderosos" nos dias de hoje.

Quando o Senhor Jesus curou um cego de nascença, de imeditato Ele despertou a inveja dos religiosos tradicionais da época. Se aqueles religiosos fossem mesmo de Deus, eles deveriam ficar radiantes ao ver tamanho milagre. Mas não, aconteceu o contrário: eles se assustaram com a ameaça de suas sinagogas esvaziarem.

Acredito que hoje em dia não é diferente. E o mais grave: o Brasil vive uma democracia em que o voto tem valor. Por isso, dá pra entender toda essa perseguição, que tem um objetivo claro: Como há milhões de votos na IURD, somos obrigados a pagar o pato...

A cura, isto é, o bem-estar social daquele ex-cego gerou um problema grave para Deus. Mas tudo já estava muito bem elaborado por Ele. Nada acontece por acaso.

Creio que Deus permite certas situações porque tem objetivos mais adiante. É o que acontece na vida de todos os Seus seguidores. Quem fugir da guerra é considerado desertor, covarde e indigno de herdar o Reino de Deus. É como Ele mesmo diz:

...o meu justo viverá pela fé; e: Se retroceder, nele não se compraz a Minha alma. ( Hebreus 10:38 )

17
ago2009

Entrevista com o… Vai Arrebentar!

Entrevista exibida dia 16/08/2009 no Reporter Record.

13
ago2009

Resposta ao Fogo Ardente

Nestes dias de tantas perseguições e calúnias lideradas pela TV Globo, quero aqui dar uma resposta a todas as acusações. Ouça minha resposta abaixo:

12
ago2009

Carta do advogado ao Bispo Edir Macedo

Prezado Bispo Edir  Macedo,

Mais uma vez o Ministério Público do Estado de São Paulo formulou junto à Justiça de São Paulo denúncia contra o senhor e outros  religiosos e cooperadores da Igreja Universal do Reino de Deus, por suposta prática de crime de lavagem de dinheiro e outras condutas tidas como delituosas.

Essas acusações nada mais são do que uma repetição do conteúdo de outro procedimento instaurado em 1999, para apurar crime de lavagem de dinheiro e sonegação fiscal que tinha como investigados, à época, praticamente as mesmas pessoas que agora o Ministério Público quer colocar novamente como réus.

Nesse inquérito de 1999, o Bispo Edir Macedo, juntamente com outros religiosos e cooperadores da Igreja Universal, foram exaustivamente investigados por anos e, finalmente, a apuração foi arquivada em 2006, pelo Supremo Tribunal Federal, a pedido da Procuradoria Geral da República.

Repita-se, o Ministério Público quer colocar estas pessoas como réus, novamente, em procedimento devidamente arquivado pela Corte Suprema do nosso país – o STF, a última instância, ou seja, eles investigarão fatos já decididos em definitivo. E, pasmem! O mesmo Ministério Público que pediu o arquivamento, agora quer investigar tudo de novo; nem os próprios membros desta Instituição se entendem.

A acusação do momento nada mais é do que a repetição dos mesmos fatos que o Supremo Tribunal Federal arquivou. Ela mais uma vez revolve fato ocorrido em 1992, quando alguns religiosos ligados à Igreja obtiveram empréstimo no exterior para o pagamento da compra da TV Record do Rio de Janeiro.

Ao longo destes anos, este empréstimo no exterior foi pago mediante prestações que acabaram sendo novamente consideradas como desvio para lavagem de dinheiro.

Na verdade, a organização Globo reage contra o Bispo Edir Macedo, em razão do crescimento vertiginoso da audiência da TV Record, que ameaça ou mesmo já ultrapassou a audiência da TV Globo. E com isto eles não se conformam.

No Jornal Nacional de ontem, 11 de agosto, o tempo dedicado pelo noticiário a tentar desmoralizar os trabalhos da Igreja Universal, voltados à fé evangélica, à realização de inúmeras obras sociais, ultrapassou qualquer medida de bom senso. Em um noticiário de 35 minutos, mais de 1/3 do tempo foi voltado a agredir a Igreja e seus pastores, que nada têm a ver com este novo procedimento instaurado pelo Ministério Público de São Paulo, no qual se investigam pessoas físicas.

De mais a mais, a própria Rede Globo é totalmente incongruente em seus noticiários e reportagens, pois no Jornal Nacional ataca a Igreja Universal como se ela fosse a autora de todos os delitos, sabedora de que quem está sendo investigado são pessoas físicas. Mas, em seu jornal escrito – O Globo –, fala que a Igreja Universal e seus fiéis são vítimas, ou seja, na invocação de seu “direito de informar” ela dá a mesma informação com nuances diferenciadas e totalmente distorcidas da realidade - em uma matéria ela ataca e na outra ela fala que essa mesma pessoa é vítima!

Só há uma explicação para isto: a busca da audiência, fazendo um sensacionalismo barato, pois falar da Igreja Universal neste país dá “IBOPE”, mesmo ela não sendo a investigada.

Da mesma forma a manchete de primeira página do jornal Folha de São Paulo, publicada no mesmo dia, foi de tal forma escandalosa e absurda que mais parecia que noticiava o  maior escândalo político do país.

Na verdade, estas acusações criminosas nem merecem resposta. Enfrentaremos o processo com a mesma tranquilidade de outras vezes e nossa maior e irrespondível defesa é no sentido de que o Supremo Tribunal Federal já investigou tais fatos e a pedido da Procuradoria Geral de República arquivou o inquérito.

Temos a certeza de que o caso agora inventado terá o  mesmo destino.

Arthur Lavigne
Advogado

Veja também:

- Veja o vídeo onde fala sobre a desesperada perseguição da Globo contra a IURD

- Entrevista com o Bispo Macedo

8
ago2009

O bispo responde – A ligação entre a Igreja e a Record

Um internauta me escreveu perguntando: Qual a razão de a Igreja Universal pagar para exibir os programas na Rede Record se o bispo é o dono dela?

Resposta:

A ligação entre a Igreja e a Record é o fato de o líder espiritual ser o sócio majoritário, somente isso. Contudo, tal fato não autoriza a transmissão gratuita dos programas da IURD na emissora, pois são pessoas jurídicas diferentes, com patrimônio distinto, não podendo ter a confusão patrimonial de bens nem de pessoas, pois, se tal mistura existisse, seria considerado um ilícito, isto é, contrário a lei. Como a Igreja Universal trabalha de forma totalmente lícita, é necessário atender o que a legislação determina de modo que temos que ter um contrato de locação com a Rede Record, pagarmos os preços de mercado pela transmissão da programação, contabilizarmos tudo isso, a fim de fazermos tudo dentro da lei.

Ainda a título de esclarecimento, a IURD é quem produz seus programas e apenas compra o espaço televisivo para a transmissão. Contudo, esta transmissão, que é feita pela Record, gera gastos que devem ser suportados por ela, que é uma empresa de cunho comercial e vive de resultados, não podendo se dar ao luxo de conceder espaço em sua programação, de forma gratuita, para quem quer que seja. Isto geraria prejuízo à Record, o que poderia impactar na administração da empresa, que tem muitas contas a pagar, haja vista que levar imagens a todo o País e a mais de 150 países no mundo possui um custo muito alto.

A Rede Record é reconhecida pela seriedade com que trabalha e tem como princípio o tratamento igualitário de todos aqueles que assistem à programação da emissora, razão pela qual a IURD nem qualquer outra instituição poderá ser beneficiada com a transmissão de programas de forma gratuita, para que, assim sendo, fiquemos totalmente de conformidade com a lei.

Caro internauta: é muito importante que você leia o Evangelho de Marcos 12.13-17 e compreenderá a importância de respeitarmos as leis dos homens. O nosso Senhor Jesus o fez e ensinou que devemos fazer também.

17
abr2009

Revolta da Fé

Palavra Amiga
Idiomas
Pesquise outros posts
Clique em curtir e seja um Fã no Facebook
Assine nossa newsletter!
Cadastre-se e receba diariamente todas as novidades do blog:
* obrigatório
Universal.org
Siga-me no Twitter
Canais Oficiais
Ganhe almas! Divulgue no seu site
 
O pão nosso para 365 dias
arcacenter.com.br
Últimos Comentários
Site do Templo
Anúncios
www.bispomacedo.com.br - © Copyright 2014 - Blog do Bispo Edir Macedo