"Não escolhemos vir ao mundo, mas temos o direito de escolher onde viver a eternidade."
28
ago2009

Sempre Família

26
ago2009

Fé Colorida

Por que tentam denegrir o trabalho da Iurd e, em especial, sua liderança? O que está por detrás dessa perseguição implacável?

O povo de Deus tem conhecimento de que as entidades infernais usam e abusam de seus subservientes na Terra. Mas o que poucos sabem é que elas os têm usado para monopolizar a fé de forma emotiva e tradicional: a fé colorida.

Esse tipo de fé tem conduzido os incautos a acreditar nas fantasias criadas pela arte e imaginação pagãs com fins exclusivamente econômicos. É o caso do natal, páscoa, sexta-feira da paixão, dia dos mortos, dia das almas, etc. Cada dia santo é motivo para alavancar indústria e comércio. O pano de fundo sempre é a fé emotiva, em nome do cristianismo.

Por conta do discurso revelador da Iurd, que tem promovido a fé consciente, separada de sentimentos e entusiasmos, verifica-se logo um andar na contramão. Obviamente, isso provoca verdadeira revolução na sociedade, contrariando interesses político-econômicos.

Se Deus existe, conforme se tem crido, por que não cobrar dEle respostas às necessidades vigentes? Se Ele atendeu no passado, por que não vai atender no presente?

Esse é o tipo de fé que satisfaz tanto a Deus quanto aos que nEle creem. Nela há coerência.

Ou Deus existe ou não existe. Como sabê-lo?

Fatos irrefutáveis são a única resposta.

9
ago2009

Cólera do Mal

Exames de saúde positivos, pragas lançadas, ameaças de morte e tudo o mais que têm aterrorizado o coração, são setas vindas do inferno para confrontar a fé. Se a mesma está firmada na Palavra de Deus nada disso tem valor. Mas se é emotiva, o coração se assusta e se curva diante dos problemas.

Por conta disso mesmo, o Espírito adverte para não prestar atenção nas coisas visíveis, mas nas invisíveis. Porque as visíveis são temporais e as invisíveis são eternas. ( 2 Coríntios 4.17-18 )

Ora, quando se leva em conta a fé inteligente, não se aceita semente de dúvida nem se rende às tribulações “leves e momentâneas”, apesar de difíceis. Ao contrário, há uma resistência natural provocada pela convicção pessoal! Daí nasce a revolta da cobrança do cumprimento da Palavra do Eterno Deus.

Isso significa ver o invisível, crer no impossível, viver de fé em fé e pela fé.

Quem pode entender isso se não tiver nascido  de Deus?

27
mar2009

Meu Testemunho

Minha saída da igreja onde me converti não aconteceu por rebeldia nem por quaisquer razões pessoais. Muito pelo contrário. Antes de sair conversei com o bispo Tito Oscar e lhe falei da minha disposição em ganhar almas. Até então não fazia nada na igreja. Apenas, por conta própria, alguns trabalhos evangelísticos em hospitais e nas ruas.

Pedi ao bispo que me desse a oportunidade de auxiliar meu cunhado bispo Jorcelino em Teresópolis. Mas ele não permitiu.

Diante de sua decisão, não me restou outra opção senão me excluir da igreja e começar a buscar almas em qualquer lugar.

Era membro daquela igreja durante mais de oito anos. Batizado nas águas e no Espírito Santo, vivia uma vida pautada na Palavra ali aprendida. Lá conheci a Ester e casamos. Lá foram apresentadas nossas filhas Cristiane e Viviane. Lá congregávamos às quartas e domingos fielmente.

Ao sair daquela igreja não reclamei de nada. Até porque não havia razão para isso. Muito pelo contrário, porque mesmo deixando aquela congregação mantive ótimo relacionamento com todos os seus bispos e pastores, mesmo lá fora.

Não saí revoltado nem procurei levar irmãos e amigos que lá deixei. Nem mesmo minha mulher e as crianças me acompanharam.

Saí só, mas com uma certeza: o Espírito de Deus era comigo.

Lembro do apóstolo Paulo quando foi enviado aos gentios. ( Gálatas 1.15-17 )

Hoje em dia, alguns têm saído do nosso meio cheios de ódio e revolta. Por quê? Saem porque não eram de Deus. Se o fossem não sairiam.

Mas Deus os permite sair para que construam suas próprias “igrejas” e assim carreguem consigo os demais que têm o mesmo espírito.

Dessa forma deixam nosso fardo muuuito mais leve.

Graças a Deus!

1
fev2009

Justiça que Destrói

'Eu não consigo me tornar uma pessoa de Deus, por mais que eu tente, parece que não tem jeito para mim e as vezes sinto vontade de desanimar.' Uma jovem desabafou um dia desses...

Em toda a criação, seja do Criador, seja da criatura há o chamado ponto de equilíbrio. O corpo humano, o avião, o automóvel, enfim, tudo funciona dentro de um equilíbrio. Do ponto de vista da fé não é diferente.

Sobriedade é condição para o ministério do bispo. Ou seja, temperante ou equilibrado.  I Timóteo 3.2

E do ponto de vista da justiça pela fé?

Muitos convertidos têm sido frustrado na fé justamente por se exceder na sua justiça. Isto é, na sua maneira de ver e julgar as coisas. Qualquer picuinha alheia já é motivo de crítica e escândalo. Tudo é levado na ponta da faca...

Exemplo disso é no compromisso dos dízimos. Muitos são tão justos que ao pagarem seus dízimos colocam exatamente 10% dos seus ganhos, incluindo até centavos. Obviamente não estamos tratando de dízimos. Mas, sim, dos excessos em relação à justiça do justo.

Para tais pessoas a mais inocente brincadeira já é motivo de escândalo. Elas se esquecem que apesar de não pertencer ao mundo, ainda assim, vive nele. E por conta disso não se pode nem exigir muito dos outros nem de si mesmas.

Infelizmente muitos acabam abandonando a fé por não conseguirem atender as cobranças excessivas de si mesmos. Ou do espírito enganador disfarçado em santidade... O equilíbrio da fé não significa tolerar o pecado nem exagerar na santidade.

Há fé para se comer legumes e há fé para se comer carne… Mas cada um tenha sua fé bem definida.

A fé inteligente não só respeita a fé alheia, mas sobretudo cuida do desenvolvimento de si mesmo.

"Não sejas demasiadamente justo, nem exageradamente sábio; por que te destruirias a ti mesmo?"        ( Eclesiastes 7.16 )

Uma das características do bispo é a sobriedade.

17
nov2008

O bispo responde – Sobre a Prostituição

Pergunta:

Oi bispo. A pouco tempo atrás ouvi dizer sobre um bispo que eu gostava muito se prostituiu e saiu da igreja. Fico me perguntando por que estas coisas acontecem? Ele não era de Deus?

Antônio

 

Resposta:

Antônio,

A pessoa pode ser cheia do Espírito Santo mas se ela decidir pecar, ela vai pecar e sair da presença de Deus, não porque não conseguiu resistir a tentação e sim porque decidiu fazer a vontade da sua própria carne. "Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia." ( 1 Corintios 10.12)

Palavra Amiga
Idiomas
Pesquise outros posts
Clique em curtir e seja um Fã no Facebook
Assine nossa newsletter!
Cadastre-se e receba diariamente todas as novidades do blog:
* obrigatório
Universal.org
Siga-me no Twitter
Canais Oficiais
Ganhe almas! Divulgue no seu site
 
O pão nosso para 365 dias
arcacenter.com.br
Últimos Comentários
Site do Templo
Anúncios
www.bispomacedo.com.br - © Copyright 2014 - Blog do Bispo Edir Macedo