"Não escolhemos vir ao mundo, mas temos o direito de escolher onde viver a eternidade."
3
jun2013

Godllywood

Não fui à noite de autógrafos do lançamento do “NADA A PERDER”. Na verdade, nem me entusiasmei em ler o livro. “Por que as pessoas promovem tanto esse livro se já conhecemos a história do bispo?”, eu me perguntava, além de nunca ter tido o hábito de ler os livros da igreja (tenho praticamente uma biblioteca em casa, mas jamais havia lido nenhum).

Em primeiro lugar, gostaria de deixar bem claro que o intuito e o desejo do bispo ao escrever o livro, apresentados ainda na introdução, sem sombra de dúvidas são alcançados! A leitura me levou a tomar sim as decisões que me faltavam para um verdadeiro encontro com DEUS, para a conquista da Salvação eterna.

Me chamo Dâmia Natascha. Hoje tenho 27 anos e sou mãe solteira (minha pequena tem 2 anos e perdeu o pai com 8 meses). Desde então foi em DEUS e na Igreja Universal que tive forças para seguir.

Mas conheci o Grupo Jovem quando tinha apenas 13 anos e, como muitos, tinha aquela indefinição. Gostava, acreditava, já sabia o que era certo, mas... Pra resumir, ao longo desses anos foi um tal de vai e vem que me dá até agonia de lembrar!

Grávida e namorando, voltei de vez aos 24 anos. Terminei o namoro pra não viver mais no pecado da prostituição (foi muito difícil renunciar ao meu namoro), mas sabia que agora que seríamos uma família era melhor estarmos na presença de DEUS. Comecei a fazer tudo direitinho: me batizei nas águas, 3ª, 4ª, 5ª e domingo jamais faltei e 'confiava' que logo o pai da minha filha estaria na igreja comigo. Um ano se passou, já estava até no discipulado para me tornar uma obreira, era tia da EBI e também evangelista. Mas só entenderia o verdadeiro significado de confiar em DEUS ao passar pelo meu primeiro deserto.

Ele faleceu. Um ano firme, fiel, desejando servir a DEUS, mas os meus planos seriam frustrados com a morte do pai da minha filha. Me senti forte ao superar aquela dor. Lógico que os questionamentos a DEUS me atormentaram. Eu não entendia aquela situação e nem queria aceitar. Ainda assim permaneci, travaria uma nova batalha ao finalmente reconhecer que precisava do batismo com o Espírito Santo.

Se chamo de tormento a dor da perda, descobri que tormento maior é a dor do vazio. Buscava, buscava, buscava, mas nunca O encontrei. Jejum de Daniel? Passei por todos, entendia e fazia tudo direitinho, mas, no fim, via a alegria e testemunho de muitos e comigo não havia diferença alguma. Em todos o bispo nos ensinava: “Tenha certeza e pronto!”

Eu até saía convicta do meu encontro com DEUS, mas em poucos dias meus atos provavam-me o contrário e eu me via cheia de dúvidas novamente. Até aqui está claro que eu era aquela cristã convencida, não convertida!

Só com o ‘Desafio Godllywood’ perdi aquele hábito horrível de não ler os livros da igreja e a Bíblia. Só ouvia a Palavra de DEUS nas reuniões. Em casa, jamais separava um tempo para ouvi-Lo. Como consequência do ‘desafio’, logo estava no ‘rush’, que foi suspenso na época. No segundo 'rush', aqui em Fortaleza (CE), perdi a oportunidade de participar. Mas, neste ano, o meu 3° 'rush' tem sido maravilhoso. O senhor deve saber bem que temos a tarefa de ler livros e entregamos o resumo para as nossas responsáveis.

Em maio, o livro foi 'NADA A PERDER'.

Agradeço ao bispo por, realmente, sem ter nada a perder, ter aberto as páginas da sua vida no único objetivo de nos fazer alcançar a Salvação. Foi na quarta-feira, 22 de maio, assim como todos os testemunhos que já ouvi, também lembro mínimos detalhes da reunião e da minha busca sincera em que falei com DEUS de maneira que jamais havia falado, reconhecendo meus erros e pecados, minha imperfeição, mas querendo, mesmo indigna, que ELE contasse comigo para Servi-Lo.

Saí de lá maravilhada! Desta vez como nunca saí, tive a certeza de não ser momento nem fogo de palha – a chama foi acesa! Nunca tive tanta certeza de que pertenço a DEUS. Meus erros não me acusam mais, e sim levam-me a tomar atitudes que os corrijam. O ‘rush’ e o ‘Desafio Godllywood’, graças a DEUS, me levam a dar testemunho nas mínimas coisas: dentro de casa, com meus familiares e amigos, no trabalho, nos estudos, em tudo. Meu passado apagou, comecei do zero!

Tenho o enorme desejo e vontade de alcançar almas necessitadas, ajudar sofridos, perdidos, podendo presenteá-los com esse livro maravilhoso. Esta é a minha maior certeza de estar salva.

Sou pecadora, imperfeita, indigna, mas a mais ricas das criaturas por ter a certeza da Salvação, a certeza de ser verdadeiramente filha de DEUS e pertencer a ELE - alegria e gozo que o Espírito Santo me proporcionou por meio do livro "NADA A PERDER" e do "GODLLYWOOD".

Por isso, hoje eu sei por que esse livro era tão recomendado, e entendo o verdadeiro significado do "Godllywood", antes taxado por mim como desnecessário e fútil, coisa de meninas patricinhas e mimadas.

Mudei, nasci de novo, sou nova criatura, uma mulher virtuosa, guerreira, determinada, vencedora, evangelista, ‘godllywoodiana’. Meu nome é Dâmia Natascha. EU SOU A UNIVERSAL!

Nem mesmo este texto pode expressar minha gratidão!

Dâmia Natascha


Nada a Perder 3
Palavra Amiga
Idiomas
Pesquise outros posts
Clique em curtir e seja um Fã no Facebook
Assine nossa newsletter!
Cadastre-se e receba diariamente todas as novidades do blog:
* obrigatório
Universal.org
Siga-me no Twitter
Canais Oficiais
Ganhe almas! Divulgue no seu site
 
O pão nosso para 365 dias
arcacenter.com.br
Últimos Comentários
www.bispomacedo.com.br - © Copyright 2014 - Blog do Bispo Edir Macedo